Quer saber o que é um feed, o que você pode fazer com isso e como se inscrever? Clique aqui!

Tag: ‘Web’

Como não começar um negócio: SPAM

Tecnologia

02/01/2012 as 22:13

Você lembra qual foi a primeira vez que enviou ou recebeu um e-mail ou quando se maravilhou quando a internet chegou? Lembra que naquela época já vinham centenas de mensagens estranhas, os SPAMS? Acontece que essa ainda é uma prática muito utilizada desde aquela época. E não deveria.




Leia mais...

,
Nenhum comentário »

JavaScript não morreu

Tecnologia

29/07/2007 as 19:43

JavaScript Muitos achavam que o JavaScript estava fadado à morte, mas ainda bem que todos eles estavam errados. Padronizado pela ECMA (e então nomeado de ECMAScript) já foi muito utilizado para criar alguns efeitos que incrementavam os sites da Internet a fim de dar um pouco mais de dinamismo nas páginas (DHTML ou Dynamic HTML). De simples relógios até cursores-animados-saltitantes, os efeitos eram bastante utilizados na Web.

Com o passar dos anos, a linguagem não sofreu muitas alterações e ficou praticamente subutilizada. Até que chegamos à chamada Web 2.0 e a história ficou um pouco diferente.

Em termos de desenvolvimento, a vantagem da utilização do JavaScript no HTML é capacidade de podermos alterar a estrutura e o conteúdo da página dinamicamente, isto é, sem recarregar a página. A questão era que anteriormente, essa alteração já tinha que estar embutida na página, ou seja, o conteúdo era estático mas exibido de forma dinâmica. Hoje, contamos com o objeto XML (do próprio navegador) quer permite utilizar o JavaScript para alterar o conteúdo da página a partir de informações dinâmicas, ou seja, que estão no servidor. Esse é o tão famoso AJAX.

Mas o JavaScript utilizado hoje em dia não pára por aí: a comunidade resolveu incrementar um pouco a linguagem a fim de facilitar o desenvolvimento de rotinas dinâmicas. Assim como outras linguagens, foram criados Frameworks. Os mais populares são o Prototype e o JQuery. Posso colocar ênfase no JQuery por ser um Framework simples de ser utilizado (para que já conhece o JavaScript), pequeno (20Kb), fácil de usar (você faz grandes efeitos em poucas linhas e as vezes em apenas uma) e tem suporte a inúmeros plugins para aumentar a sua funcionalidade. De qualquer forma, ambos são gratuitos.

Outro uso interessante do JavaScript é a criação de mini-aplicações para o Google Desktop. Os Gadgets, como são chamados, têm sua linguagem dinâmica inteiramente escrita em JavaScript, incluindo as bibliotecas de evento e estruturas de controle em geral (além de objetos e funções específicas para o próprio software).

A bem antiga barreira de compatibilidade que antes existia com navegadores em relação ao JavaScript praticamente não existe mais. A linguagem é bem poderosa para o que é proposta e ajuda os desenvolvedores no trabalho de facilitar a interação do usuário com o site, criando interfaces mais intuitivas. Vale lembrar, que como o próprio nome já diz, ela é uma linguagem de script que na prática significa que ela não uma linguagem muito complexa e poderosa de programação, mas sim uma “programação auxiliar” que felizmente não morreu.

JavaScript não é Java!

JavaScript versus Java

Algo que não se pode deixar de falar quando o assunto é JavaScript é a diferença entre o Java. Um não tem nada a ver com o outro. Na época que o JavaScript foi batizado com esse nome pela Netscape, a empresa estava apoiando comercialmente o Java, da Sun. Daí a ligação de nomes. O JavaScript hoje é mantido e atualizado pela Mozilla e continua não tendo nada a ver com o Java:

  • O JavaScript é interpretado enquanto o Java é compilado.
  • O JavaScript é dependente de um interpretador-mestre como o navegador enquanto o Java, uma vez compilado, consegue ser executado em qualquer plataforma através da máquina virtual Java (JVM)
  • O JavaScript é uma linguagem limitada e não consegue (em vias normais) criar programas autônomos (standalone) enquanto o Java foi concebido exatamente do contrário.
Leia mais...


2 Comentários »

Novo Internet Explorer: eu avisei

Sem categoria

16/04/2006 as 15:49

O novo Internet Explorer está aí. Os velhos problemas também.

Conforme eu já havia avisado, a Microsoft finalmente lançou a atualização do navegador (ontem, dia 14 de abril de 2006) que altera o modo de funcionamento dos controles ActiveX.

Resumindo, tal atualização atrapalha mais do que ajuda. Todos os menus em flash, por exemplo estarão desativados por padrão até que você clique sobre eles e ative-os.

Felizmente, há uma forma de contornar o problema, mas requer um conhecimento mais aprofundado em JavaScript.
Update (24/06/2006): A Macromedia (Adobe) criou um Developer Center para esses casos, com vários links e alguns downloads.

Isso seria mais uma prova que a Microsoft deveria aposentar o Internet Explorer do Windows, assim como ela fez com o Mac?

Leia mais...

,
Nenhum comentário »

Atualização do Internet Explorer: medo

Sem categoria

01/04/2006 as 17:45

De tempos em tempos, a Microsoft costuma lançar atualizações para o Internet Explorer.

No entando, no dia 24 de março deste ano, ela anunciou uma atualização que afeta o modo que o navegador interpreta os Controles ActiveX das páginas. Tal alteração afeta softwares como o QuickTime, a Google Toolbar, o Windows Media Player, o Adobe Acrobat Reader, o Java e até o Flash.

A atualização mostra que alguns bugs ainda não foram solucionados e, como sempre, a Microsoft pretende resolver na próxima atualização.

Seria essa uma boa hora para mudar definitivamente para o Firefox ou devemos apenas estudar o modo peculiar do funcionamento do Internet Explorer?

Leia mais...


3 Comentários »

Nós amamos RSS

Sem categoria

08/10/2005 as 16:22

O RSS nunca foi tão popular. Para quem não sabe, "RSS" e "Atom" são dois formatos de distribuição de informação em XML. Com eles é possível receber informações de notícias em tempo real. É muito prático e fácil de adicionar.

O Firefox já tem o recurso incluído desde a primeira versão. A Microsoft promete que o Internet Explorer 7 e o Windows Vista já são 100% compatíveis. Procure pelo link de RSS e Atom nos sites de notícia que você mais acessa (aqui no Blog, tem um ícone no lado esquerdo) e adicione no seu leitor. Se quiser experimentar alguns, aí vão algumas dicas:

  • Google Reader: leitor de RSS na Web.
  • Google Personalized Home Page: exibe as últimas informações de vários RSS na página inicial do Google. É compatível com o Gmail e basta clicar no link do topo da página do Google para criar o seu.
  • FreeReader: leitor de RSS gratuito que ainda exibe na barra de tarefas os que foram atualizados (de tempos em tempos)
  • Google Desktop Search 2: junto com a barra lateral do programa, são adicionados automaticamente os RSS dos sites que você têm acessado.

É bom ficar atendo ao RSS. Ele está sendo muito comentado na Web 2.0 Conference 2005.

Leia mais...


Nenhum comentário »

Facilitando o desenvolvimento na Web

Sem categoria

as 16:22

Para desenvolver sites utilizando CSS e HTML sempre parece levar em conta a técnica da tentativa e erro. Você pensa que vai ficar de um jeito, codifica e quando visualiza no navegador, parece que alguma coisa saiu errado e você nem faz idéia onde está o problema.

A interpretação das tags e atributos é feita de forma diferente nas versão dos navegadores. Mas como visualizar como o navegador está interpretando o código? Foi desenvolvido uma barra de ferramentas que consegue, entre diversas funções úteis, mostrar onde estão as tags, quais são os atributos CSS, qual é a estrutura da página… Ela foi criada inicialmente para o Firefox, mas já possui sua versão Microsoft.

Nota: a versão do IE é um beta. Ela trava algumas vezes, mas é possível desativá-la.

Leia mais...


Nenhum comentário »